Acre: O Uirapuru-Azul e a Formação de Bandos Mistos

A porção sudoeste da Amazônia brasileira, onde está localizado o estado do Acre, é um excelente local para a observação de aves. Um dos fatores que mais atraem turistas do Brasil e de outros países para a região são as espécies endêmicas. Na Amazônia, existem várias áreas de endemismo e o Acre está localizado no centro de endemismo Inambari. São encontradas, pelo menos, 12 espécies de aves quase que exclusivamente no território do Acre. E são estas espécies endêmicas que atraem os observadores de aves para o estado.

O Acre possui várias Unidades de Conservação (UCs) onde estas aves podem ser avistadas. Temos a Reserva Extrativista Cazumbá – Iracema, o PARNA Serra do Divisor e o Parque Estadual Chandless. Para o observador que não quer sair da cidade de Rio Branco, capital do Estado, existem vários locais como boas opções para a prática da observação de aves, como o Parque Zoobotânico, fragmento florestal localizado na Universidade Federal do Acre (UFAC) e a Área de Proteção Ambiental (APA) Lago do Amapá. Cada vez mais o Acre vem se destacando e se consolidando como um ótimo destino para a prática desta atividade.

O Acre possui 708 espécies de aves confirmadas. Porém, com novos registros, o número sobe para 716. Uma das espécies que podem ser observadas no Acre é o Uirapuru-azul (Thamnomanes schistogynus). Esta espécie ocorre no leste do Peru, norte da Bolívia e na Amazônia Sul-ocidental brasileira, incluindo todo o estado do Acre e restrita ao centro de endemismo Inambari. O Uirapuru-azul pertence à família Thamnophilidae e é conhecido por liderar bandos mistos de aves. Os bandos mistos consistem em um agrupamento de diversas espécies de aves que se deslocam pela floresta em busca de alimentos e proteção contra possíveis predadores.

Uirapuru-azul fêmea

No início da manhã o Uirapuru-azul emite sua vocalização para demarcar seu território, logo em seguida emite um chamado, um segundo tipo de vocalização. Essa vocalização de chamado é utilizada para atrair outras espécies de aves e formar o bando misto. Nessa espécie, tanto o macho quanto a fêmea possuem a característica de liderar o bando misto. O bando misto percorre todo o seu território em busca de alimento e a formação só termina no final do dia. Esse processo de formação do bando misto tem início novamente no começo do dia seguinte. É possível observar as formações de bandos mistos durante o ano inteiro.

Para um observador de aves, encontrar um bando misto liderado pelo Uirapuru-azul é uma boa oportunidade para registrar um grande número de espécies. Além disso, a técnica de reprodução do canto (Playback) não atrai somente indivíduos da espécie, como também outras espécies que são atraídas pelo seu canto e que provavelmente participam do bando misto.

Referência: Guilherme, E. 2016. Aves do Acre. – Edufac

Compartilhe
David Pedroza Guimarães

David Pedroza

David Pedroza Guimarães é mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais/UFAC Graduado em Licenciatura em Ciências Biológicas/UEA Laboratório de Ornitologia - UFAC

David Pedroza GuimarãesAcre: O Uirapuru-Azul e a Formação de Bandos Mistos